Arborização Urbana

Análise de risco de queda de árvores

A importância da qualidade Biosfera na Análise de risco de quedas de árvores

Árvores urbanas, principalmente aquelas isoladas, têm maior propensão à queda. Essa afirmação é verdadeira e tem registros científicos. Uma série de fatores corrobora para que árvores isoladas sejam mais vulneráveis, tais como: maior exposição a ventos, solos pobres e compactados que dificultam o enraizamento, copas descaracterizadas que muitas vezes deslocam o centro de gravidade do espécime, corte das raízes de sustentação para construção de passeios e outras estruturas urbanas, abalroamento por caminhões, ônibus e outros veículos.

A análise de risco de queda de árvores é uma lista de n fatores que são levados em conta no momento de uma inspeção em um determinado indivíduo arbóreo, por exemplo, são analisadas as extensões das necroses (matéria apodrecida) no tronco, acometimento por pragas (cupins e fungos), injúrias mecânicas de raízes, copa, idade, espécie, condições climáticas da região, etc.

O diagnóstico fitossanitário é a ferramenta principal da análise de risco de queda de árvores, podendo ser utilizada na prevenção do risco de queda. A maioria das cidades não tem projetos de arborização, e as árvores urbanas atingem portes elevados e, com o passar dos anos, o risco de apodrecimento e ataque de pragas (cupins e fungos) aumentam, são fatores que serão destacados dentro do diagnóstico fitossanitário facilitando o manejo adequado e a prevenção da queda.

A BIOSFERA tem uma equipe altamente qualificada para realizar sua análise de risco de queda de árvores. Emitimos relatórios com informações fidedignas à realidade do campo, com análises técnicas que facilitarão suas estratégias para o manejo florestal de sua área. Entre em contato conosco e saiba mais.