Inventário Florestal

Levantamento Florístico

O Levantamento Florístico é uma fase importante do Licenciamento Ambiental, pois impacta nos custos do empreendimento, seja porque influencia na compensação ambiental, seja porque pode interferir no projeto. Em alguns casos de empreendimentos residenciais pode haver a necessidade de realocar um prédio, ou mesmo diminuir o número de blocos de apartamentos em função da localização de árvores específicas. Algumas árvores são protegidas por Lei e não podem ser cortadas, salvo algumas exceções. A existência do ipê-amarelo, do pequizeiro, entre outras, mais as árvores que constam na Lista de Espécies Ameaçadas de Extinção são exemplos de ocorrências que podem interferir no projeto original da ocupação de uma área. Além disso algumas cidades podem ter leis específicas para uma determinada espécie, por exemplo Contagem/MG que tem a Jabuticabeira como árvore protegida.

A vegetação existente em áreas utilizadas para a implantação de galpões, condomínios, prédios, entre outros, tem sido a cada dia considerada um elemento que agrega valor ao empreendimento. Dessa forma é importante, e na verdade uma condição primária, conhecer esse componente. O Levantamento Florístico é o inventário qualitativo e quantitativo das árvores. Ele é apresentado em forma de relatório e de uma planilha contendo o nome popular e científico de cada árvore, além de algumas medições básicas (altura, diâmetro, estado sanitário da árvore, localização georreferenciada, etc.).

Além dos parâmetros comumente utilizados, cada levantamento florístico pode apresentar certa peculiaridade, conforme a finalidade do trabalho. Há uma ampla possibilidade de análise, seja por indivíduo, seja no conjunto (população). Por exemplo, a análise por indivíduo pode abordar a área livre disponível para infiltração de água, a altura da primeira bifurcação, a abrangência da copa (em diâmetro), projeção de galhos e eventuais conflitos com estruturas diversas, presença de pragas e níveis de infestação, risco de queda, entre outros. Esse exemplo se aplica bem àquelas árvores que estão inseridas em espaços públicos, dentro de empresas, parques urbanos.

A Biosfera atua junto aos seus clientes dando o suporte técnico, a qualquer momento, para as informações coletadas e divulgadas em seus relatórios. A equipe para essa modalidade de trabalho é composta por Biólogo, Botânico, Técnico em Meio Ambiente, Topógrafo e Auxiliares de Campo.

É importante frisar que cada cidade pode adotar diretrizes próprias para o manejo da vegetação das área urbanas. Dessa forma além de conhecer a legislação federal e estadual é necessário o conhecimento da legislação municipal para que o cliente seja assessorado da melhor forma e que, ao final do trabalho, esteja ciente de todos os detalhes envolvendo a vegetação presente em sua área de intervenção.