A pouca área verde, relativa à massa de concreto, ainda mais ameaçada.

25 de fevereiro de 2015.

Não é uma questão ecologista; é uma constatação do óbvio que qualquer obra necessária para a instalação de qualquer aparelho urbano e/ou edificações, sejam escolas, hospitais, ambulatórios, etc., em áreas verdes, permeabilizadas, com funções específicas previstas em Lei, envolverá perda da taxa de permeabilidade, além de pressão antrópica no entorno e, por consequência, modificações da paisagem local.

Um projeto polêmico da Prefeitura de Belo Horizonte será votado na câmara:

 

Um Projeto de Emenda à Lei Orgânica (Pelo) de Belo Horizonte prevê mudanças nas regras de ocupação das áreas verdes da cidade. De autoria da prefeitura, a proposta nº 7/2014 permite a instalação de equipamentos públicos de saúde, educação e assistência social em locais com legislação especial, como praças, parques, reservas ecológicas e espaços tombados, onde até então é proibida qualquer construção. Uma comissão especial de vereadores deve analisar a proposta até sexta-feira.”

Clique Aqui e leia na Integra.