ANO INTERNACIONAL DA AGRICULTURA FAMILIAR

Aquela história de que “se todos fazem um pouquinho obtêm-se grandes mudanças” é verdade. A agricultura familiar, tida como aquela que acontece em pequenas propriedades onde a família se entrega na labuta de cultivar o solo e “arrancar” deste o milagre da vida em forma de hortaliças, sementes, frutas, entre outros, é a comprovação da tese.

Segundo a página de agronegócio do Banco do Brasil a Agricultura Familiar é importante neste segmento, sendo responsável por nada menos que 4,3 milhões de unidades produtivas. Isso equivale a 84% dos estabelecimentos rurais do Brasil e 33% do PIB agropecuário, além de ser responsável por 74% da mão de obra empregada no campo.

A UTZ Certified (https://www.utzcertified.org/en/aboututzcertified), por exemplo, que é um programa de certificação baseado em um conjunto de critérios sociais e ambientais relativos a práticas de produção responsável de café, e que atende as legislações alimentares europeias, japonesas e estadunidenses, abarca as produções efetivas de núcleos familiares com o objetivo de fazer-se uma melhor prática da agricultura, em formato sustentável e foco nas melhores oportunidades para os proprietários de pequenas terras e suas famílias.

Dito isso é importante registrar que a FAO (Agência das Nações Unidas Para a Alimentação e Agricultura) declarou o ano de 2014 como o Ano Internacional da Agricultura Familiar. A cerimônia aconteceu no Peru, na comunidade andina de Capachica, na região de Puno, próxima da fronteira com a Bolívia na ocasião de encerramento do Ano Internacional da Quinoa (planta rica em proteína).
Essa declaração é importante na medida em que promoverá uma série de eventos e atividades que chamará a atenção para aproximadamente 500 milhões de propriedades pelo mundo.
Um dos vetores positivos da valorização da agricultura familiar é a redução de impactos ambientais decorrentes do transporte de alimentos por longas distâncias, principalmente quando este se dá via rodoviária.

Em um mercado, como o brasileiro, onde a agricultura orgânica tem sido valorizada nos últimos anos, a declaração vem de encontro ao desejo já existente de fortalecer a agricultura familiar e reconhecê-la de fato como provedora importante de alimentos saudáveis e nutritivos.

Matéria originalmente publicada em: http://asboasnovas.com/economia/onu-define-2014-como-o-ano-internacional-da-agricultura-familiar