Preço x Valor – A ideia de preservação da Natureza pode não ser tão simples!

18 de junho de 2014.

Alguns especialistas, principalmente na área da economia, defendem que uma maneira eficaz de se preservar os ambientes naturais e seus recursos é incluir os mesmos nas planilhas de custos dos empreendimentos humanos, ou seja, dessa forma a escassez dos recursos passaria a significar uma parcela muito grande de qualquer projeto e por consequência inviabilização da atividade e, como uma espécie de efeito colateral, a preservação ambiental. O assunto é controverso e merece atenção. Atribuir preço à natureza seria uma forma de realmente percebermos o valor dos recursos naturais, ecossistemas e diversidade biológica, ou seria apenas uma forma de dizer: – Pagando bem pode-se tudo?

Acesse a matéria:

Quando se põe preço na natureza

Link

Trecho da matéria:

“O governo procura fortalecer o marco legal e regulatório do setor. Assim, realiza pesquisa geológica e mineral para ampliar seu conhecimento do solo e subsolo, e avaliações ambientais do impacto da mineração. Os defensores da contabilidade do capital natural afirmam que o sistema vai modelar o comportamento do governo e fomentar o uso sustentável dos recursos, enquanto outros alertam que o cálculo da “riqueza natural” é mais um passo para a mercantilização completa do planeta.”


 

Aqueles que queiram se aprofundar no assunto podem começar lendo o livro do economista Theodore Panayotou: Mercados Verdes – a Economia do Desenvolvimento Alternativo. Este livro pode ser encontrado no site Estante Virtual por preço médio de R$ 10,00.

link Estante virtual: http://www.estantevirtual.com.br/q/-theodore-panayotou-mercados-verdes